Você não está logado | Entrar | Cadastrar

Informativo

Cadastre seu email e receba as notícias do PPS





Seja um Filiado
08/10/2013

PPS-PI apoia qualquer candidato ao Governo, exceto Wellington




Por: Cícero Portela - Jornal O DIA

O plenarinho da Câmara Municipal de Teresina foi palco, nessa sexta-feira (04), de uma sessão de filiações organizada pelo diretório estadual do PPS. Dentre os novos integrantes da sigla, está o ex-vereador de Teresina Olésio Coutinho, que em outubro do ano passado deixou o PTB para apoiar a candidatura de Firmino Filho (PSDB) à Prefeitura de Teresina, em confronto, justamente, com o petebista Elmano Férrer. Vereador por seis mandatos, Olésio não tentou a reeleição para a Câmara em 2012.
 Outro nome que se soma às fileiras do PPS no Piauí é o do advogado Leôncio Coelho, um dos defensores do ex-coronel José Viriato Correia Lima na Justiça. Para Celso Henrique, presidente do diretório regional do PPS, as novas filiações comprovam que a legenda passa por um vertiginoso crescimento no Estado e, sobretudo, na capital – onde conseguiu eleger dois representantes na Câmara de Vereadores – Teresinha Medeiros e Luís André. 
Em 2014, a meta do PPS é emplacar pelo menos um deputado estadual. Para alcançar este objetivo, a sigla pretende formar uma coligação forte e lançar aproximadamente 30 candidatos ao cargo, muitos deles com chances reais de vitória. Atualmente, o partido não possui representação na Assembleia Legislativa. 
“No Piauí, nós estávamos nas cinzas. Ressurgimos, elegemos dois vereadores aqui em Teresina. Em todo o Estado são 60 vereadores, seis prefeitos e seis vice-prefeitos. Hoje nós somos a oitava maior força partidária do Piauí. Isso nos dá um crédito muito grande, significa que as pessoas captaram, em 2012, a mensagem do PPS – fazer a política com decência, fazer a política com responsabilidade –, o que nos deixa muito confiantes para 2014”, discorre Celso Henrique. 
O presidente do PPS no Piauí observa que os grandes partidos estão preocupados com a perspectiva de crescimento das legendas que compõem o chamado G12, grupo com as doze agremiações consideradas em ascensão no Estado. Celso Henrique acredita que esses partidos têm potencial para eleger pelo menos um terço dos integrantes da Alepi para a próxima legislatura. 
Em relação à disputa majoritária pelo Governo do Estado, por enquanto o PPS tem apenas uma certeza – não apoiará a candidatura do senador Wellington Dias, uma vez que o PPS desponta como um dos principais opositores do Partido dos Trabalhadores em todos os níveis do poder. 
“Nós fazemos uma forte oposição ao governo Dilma, e não há nenhuma condição de nos aliarmos a um candidato petista, seja aqui ou em qualquer outro Estado do País [...] Por isso, nós já temos definido o lado para o qual a gente não tem interesse em ir, que é o lado do ex-governador Wellington Dias. Com esse a gente nem senta à mesa. Mas nós consideramos conversar com as outras forças políticas, seja o exprefeito Silvio Mendes, o vice-governador Moraes Souza Filho, ou mesmo outro candidato do governador, caso ele não saia [do cargo]. Avaliamos, inclusive, uma candidatura do G12, se percebermos que temos uma musculatura suficiente para isso. Após esse prazo de filiações, no mais tardar até o dia 18 de outubro, estaremos nos reunindo [G12] novamente para tratar sobre essa possibilidade”, afirma Celso Henrique.




Avalie este conteúdo
Se você achou esse conteúdo interessante deixe seu voto clicando no botao "gostei". Os conteúdos melhor avaliados ficam em destaque para os outros usuários.


Este conteúdo tem 218 visitas

Para votar, você precisa estar logado no site.


Deixe seu comentário
Bloqueado
É preciso estar logado para deixar um comentário.
Clique aqui, cadastre-se e participe!!


Este conteúdo tem 0 comentário(s)





Enquete
O que você achou do desempenho do PPS no Piauí


Ruim
Boa
Opa, selecione uma opção.










Caso seja mais de um amigo, separe os emails por vírgula.

Para votar, você precisa estar logado no site.


Desenvolvimento: RBW Comunicação | Hospedagem e Manutenção:Núcleo de Tecnologia do PPS
© Partido Popular Socialista - PPS (2008)